Eficiência Energética Reabilitação

11 vantagens do LED sobre a lâmpada vapor metálica e de sódio

A evolução da tecnologia em iluminação, com a disseminação do LED, tem alterado também o consumo de lâmpadas de vapor metálico e de sódio, muito usadas em indústrias, comércio, iluminação pública e no setor produtivo como um todo.

Segundo Ricardo Cricci, diretor comercial da Celena, que é especializada em projetos e soluções de iluminação para eficientização energética, “a demanda pelo LED tem aumentado sobremaneira que as lâmpadas de vapor metálico deverão quase desaparecer do mercado até 2020”.

Já o vapor de sódio deverá ter uma sobrevida maior, na avaliação do executivo, porque ainda é muito utilizada em iluminação pública, embora no setor produtivo seu consumo deva diminuir.

Com essa troca será possível economizar até 70% de energia, “o que faz o investimento em redução de consumo ser mais eficaz que investir em geração”, completa o executivo.

Além da economia, o LED apresenta outras vantagens sobre as lâmpadas mistas, que devem ser levadas em consideração na hora do retrofit.

Segundo Cricci, existem 11 razões para substituir as lâmpadas de vapor metálico e de sódio pelo LED:

1 – Sustentabilidade

Conhecidas como lâmpadas de alta pressão, as lâmpadas metálicas e de sódio funcionam mediante a descarga elétrica num tubo de vidro contendo gases no seu interior, o que transforma a energia elétrica em luminosa. Estes gases contaminam o solo no seu descarte. Já o LED não entrou na Lei de Resíduos sólidos, pois não possui metais pesados em sua composição.

2 – Acendimento

As metálicas e de sódio necessitam de reatores para a sua ignição e funcionamento, o que pode levar até 15 minutos para o reacendimento completo, após uma oscilação de energia, por exemplo. Já o LED é resistente a vibrações e não possui problemas de queima ou falha de filamentos, pois usa um chip para ser acionado.

3 – Aproveitamento luminoso

Ao contrário do LED, que usa luz direcional, a lâmpada metálica e de sódio desperdiça luz, isto porque irradia luz em 360º. Com isso ocorre uma invasão de luz em áreas que não precisam ser iluminadas, diminuindo a poluição luminosa.

4 – Noite estrelada

Como a luz do LED é direcionada para a pavimentação, é menor o seu índice de ofuscamento. Graças a isso, é possível, por exemplo, ver-se as estrelas à noite. Há países, como os Estados Unidos, que levam esta questão de ver as estrelas muito a sério.

5 – Menos pontos escuros

Como controla a luz por lente e não por espelho, o LED tem um controlo óptico que garante à luz chegar ao lugar certo, fornecendo uma luz mais uniforme e com menos ‘zebramento’.

6 – Visão melhorada

O olho humano à noite percebe melhor os espetros de luz emitidos pela iluminação branca do LED, por isso existe a perceção de maior claridade sob luzes brancas.

7 – Manutenção do fluxo luminoso

A metálica, depois de 20% de uso perde 30% de luz, porque o químico volatiza-se. Já o LED possui componentes que garantem o fluxo luminoso consistente em até 70% da vida útil.

8 – Manutenção

Lâmpadas de alta potência, como a metálica e o sódio, são utilizadas em locais com grandes alturas, o que necessita de um aparato mais complexo para fazer a substituição em caso de queima, com mão de obra e até andaimes. Com uma duração quatro vezes maior que a metálica, o LED diminui consideravelmente a necessidade de manutenção e, consequentemente, o custo envolvido no processo.

9 – Interatividade

Por ser uma luz eletrónica, o LED permite a inserção de gestão e monitorização remoto.

10 – Calor

A metálica e o sódio emitem calor, o que torna o ambiente fechado extremamente desconfortável para os utilizadores. Imagine o conforto para os utilizares de uma fábrica com uma luz que não aquece.

11 – Economia

O LED entrega a mesma quantidade de luz, ou até mais, consumindo até 75% menos energia que as lâmpadas de vapor metálico e de sódio, tendo impacto direto na saúde financeira.

 

 Mais informações